De que lado estamos: opressor ou oprimido?


Não existe um lema maior em nossos tempos do que a repetição do discurso da mídia na boca do operário. Tristemente, a mídia consegue reproduzir o pensamento opressor das ditaduras mesmo nos países ditos democráticos. É tácita a ditadura civil em alguns países, onde aparentemente existe liberdade de expressão, a tortura é dissimulada, os bancos fazem agiotagem à custa do império do falso poder de compra em 60 parcelas.

Podemos nos expressar? É questionável nossa mídia independente. Ameaças, perseguições, assassinatos. Os últimos fatos escaparam dos submundos da Justiça brasileira para a mídia nacional com torturas de presos e perseguições de inocentes com morte como no caso do empresário paulista Aquino, culminando em fraude processual com vídeo demonstrando os profissionais da segurança retirando as cápsulas deflagradas do local do crime.
É divertido o Direito, quando dizemos crime, estamos fazendo uma acusação, mas quem acusa é a Promotoria. Se alguém foi assassinado, não será possível transformar o morto em culpado da própria morte?! É exatamente aí que a mídia consegue transformar uma vítima em culpado e inocentar os culpados. Lamentavelmente, é mais fácil ouvir a versão dos vivos e necessários do que darmos razões para um homem sem vida.

Naturalmente, nos perguntarão: por que esse homem não parou? É duro ter que admitir a inconfiabilidade nos homens de farda, exceto raríssimas exceções de honestidade, caráter e probidade. Podemos fazer a inferência dos antigos: “quem não deve, não teme”. Já está mais do que provado, o temor dos inocentes existe. Não é sem fundamento o temor dos inocentes. Existem falsas blitz, existe corrupção denunciada nos filmes Tropa de Elite I e II e em vários outros do cinema nacional e internacional.

Aos que creem no divino é pedir a Deus, aos que não creem resta esperar melhor sorte: não ser confundido com desafeto ou procurado, de forma, a não ser transformado em estatística neste cenário putrefato, necrosado, onde os homens de “bens e bem” assistem covardes, pacificamente, até o dia em que o aro da própria carruagem soltar. A mídia não é a mídia, é apenas mais um membro dos vários braços reais deste sistema em processo, sendo finalizado e julgado. Ao que não temem a Deus e pensam ser tolice a Morte de Jesus, a Justiça e o julgamento de Deus, esperemos para saber se é possível a corrupção do Juízo de Deus.

Inspirado na citação de Malcom X: “Se não estás prevenido ante os meios de comunicação, te farão amar o opressor e odiar o oprimido”.

Anúncios

Grato por sua participação!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s