Ex-presidiário e agora???


Convivemos numa estrutura cruel e desumana. Elitista, com uma estrutura de crescimento definida e obviamente, sem nenhuma contradição, ela é injusta. Como canta o rapper Mano Brown: “Caráter e personalidade mofando atrás das grades”. Um outro rapper, senão for o próprio, afirma: “Quem errou tem que pagar, se acerta, não estou aqui pra condenar ninguém nem pra defender”. Diante das análises da mentalidade humana ninguém está isento de ser criminoso, alguns afirmam até que em si cada um ser humano carrega sua ira contida, a ponto de explodir e num excesso cometer um crime.

Não há condições de se controlar o mal. E ninguém pense que seja possível, nem o próprio Deus tentou. Deixou-o ir na sua disposição. Quando um homem vai a júri e é condenado, o Estado o exclui da sociedade. Diante do seu retorno com o cumprimento de sua senteça, este cidadão retorna para o seio da sua família. Agora começam as implicações. Muitos não tiveram direito a família, foram abandonados por seus cônjuges. Rejeitados por seus pais e irmãos. Recentemente, abordando esse tema com um professor este me perguntou, sem nenhuma capacidade de pensar a estrutura da sociedade que faz parte: “Você já esteve preso, já teve algum parente preso, irmão, tio, pai?” Infelizmente, é assim que muitas vezes analisamos a conjuntura das dificuldades do outro, com um simples e morno: isto não é problema meu. Naturalmente, não dei importância a estupidez deste professor; faz parte dos ossos do ofício fazer um imbecil com título de doutor dar-se conta de sua ingenuidade intelectual. Em seguida, o mesmo me perguntou qual era a minha graduação. Ao que naturalmente respondi, abandonei a faculdade por faltarem condições de sustentar a escola gratuita que o governo me dava. E disse enfaticamente: conheço muitos mestres de primeiro grau incompleto. E às vezes, tenho vergonha de não ser tão sensível como eles.

A segunda mais básica, já cantaria Gonzaga Jr: “O homem sem trabalho, o homem não tem honra, se morre, se mata”. Conheci alguns mestres na arte do biscate, em algumas regiões biscate é mulher frívola, na Bahia é ausência de trabalho com carteira assinada. Dizem que um dos sintomas da atual crise mundial desemboca na estatística que afirma a existência de 1 desempregado em cada família americana. Ora, que diabo de crise é essa??? Sou brasileiro, desde pequeno cresci juntamente com pessoas que seguidas vezes diziam-se despedidos de seus biscates. E agora descobrem o mundo numa crise que já estamos há anos? É muito cinismo para justificar os desvios dos bilhões.

Quem empregaria um ex-presidiário, neste mundo de desemprego como desculpa das falências e degenerescências sócio-política e capitalista? Alguns empregariam. Raras almas dariam emprego aos tatuados das prisões. Com suas psicopatias sociais, com seus traumas. A melhor alusão ao presídio que posso deixar é a idéia de que se num dia de visitação acontecesse na prisão tudo que acontece durante toda a vida do apenado, um homem comum entenderia os sentimentos, desejos, decepções e certamente buscariam como ajudar um ex-presidiário a voltar a se sentir gente novamente.

Caetano Barata

Anúncios

8 comentários em “Ex-presidiário e agora???”

  1. oi!!!a personalidade de um ex-presidiário pode, mudar após ele sair da cadeia ?

  2. Sou ex-presidiario.
    Eu nao sei como vai ser meu dia amnha, nao sei mesmo.
    todos carrega ira dentro de si, existe muitos relatos de ex-policia, que matou fulano, ciclano e
    todo tempo andou armado, e ainda anda: alguns que cometeu crimes! E ninguem fez nada pra que ele perdesse a
    farda e tai andando solta.
    Mas o direito do ex-preso se rejenerar querem tirar, tira o leite, o pao, ou o direito dos seus filhor estudar.
    o rapp Mano Brown diz na sua letra de musica: se diz que muleque de rua rouba, o governo, a policia no brasil quem nao rouba: ele so nao tem diploma pra roubar, ele nao se esconde atraz de uma farda suja…
    E tudo uma questao de reflequiçao, uma questao de pesnsar.
    todos estao como suas sujeras debaixo do tapete,e sego somos nos que vemos!
    nada esta encoberto diante de
    Deus.de-nos uma segunda chance,pois os que estao correndo atraz, quer de verdade mudar, e os que nao querem chance, eles nao vao se humilhar pelo seu favor nao,pois o bolso deles tao cheio de dinheiro, ate mas que vc.
    as vezes, e ate e o teu dinhero.

  3. Faço trabalho missionario com os presidiarios de minha cidade…compartilho o amor de Deus com eles,”outro ouvir um dos meus irmaos em Cristo detentos falar:Quando estava no mundo (aparentimente livre) eu estava totalmente preso….depois que eu estou preso fui libertado”….quando aceitei a Jesus.
    O AMOR DE DEUS TOCA QUEM NINGEUM QUER MAIS TOCAR….
    quem somos nós pra julgar?
    quando o cidadao abre o seu coracao e deixa Cristo entrar e transforma-lo ha mudanca….
    “uma segunda chance é o que eles precisam da sociedade”!

  4. O sistema neoliberalista é cruel e a sociedade superegóica, Rui Barbosa dizia ” A regra da desigualdade não consiste senão em quinhoar os desiguais, na medida em que se desigualam, portanto nesta desigualdade social, propocionada pela desigualdade natural, é que se acha a verdadeira igualdade, outrossim, tratar com desigualdade os iguais ou desiguais com igualdade, seria desigualdade flagrante e não igualdade real.No Brasil o próprio sistema corrobora para tratamentos desiguais e desumanos. Vale lembrar, uma triste realidade. Pergunto: Que sistema é este que não contribui para a felicidade plena de todos os seres humanos…DEUS em sua imensa misericórdia nunca realizou acepção de pessoas e quem são os seres humanos para julgar ao próximo! Todos têm direito à vida com dignidade e a chance de ser qualificado.EM UMA PASSAGEM DA BÍBLIA COM MARIA MADALENA, Jesus disse; Jogue a primeira pedra quem nunca errou ; e todos foram se retirando um a um… Jesus então disse-lhe; Vá mulher e não venha a pecar mais…Essa mulher se regenerou, porque encontrou um ser sublime em seu caminho que a ajudou a erguer-se e construir uma nova vida.

    ATT SANDRA BARUCK

  5. SOu ex-presidiario tenho 24 anos e tenho certeza que um empresario dando emprego ao um ex-detento está ocupando um homem, esta lutando e ajudando essa batalha contra o crime,tenho um certificado de pedreiro que o consegui no presidio do estado do RN,mas nunca exerci essa profição pq não me dão essa oportunidade com 1 ano de liberdade,sabendo que Mossoró na minha cidade todo dia o sine oferece 30 vagas de pedreiro, e 20 de servente mas nunca me chamarão.tenho familia mas sempre consegui meu dinheiro…não quero voltar ao crime mas não aguento viver deitado em casa não sou VAGABUNDO.

  6. SOu ex-presidiario tenho 24 anos e tenho certeza que um empresario dando emprego ao um ex-detento está ocupando um homem, esta lutando e ajudando essa batalha contra o crime, tenho um certificado de pedreiro que o consegui no presidio do estado do RN, mas nunca exerci essa profição pq não me dão essa oportunidade com 1 ano de liberdade, sabendo que Mossoró na minha cidade todo dia o sine oferece 30 vagas de pedreiro, e 20 de servente mas nunca me chamarão. Tenho familia mas sempre consegui meu dinheiro…não quero voltar ao crime mas não aguento viver deitado em casa não sou VAGABUNDO.juninhocarneiro41@hotmail.com

  7. Sou ex presidiario tenho 41 anos estou a 3 meses em liberdade quando ganhei minha progressão de (regime semi aberto), iniciei e conclui a facudade em LOGISTICA foi dificil não tinha apoio do sistema,mais em fim valeu a pena hoje eu sou parte dos 8% que possui nivel superior no brasil,após eu ganhar meu RA (regime aberto)minha liberdade definitiva,esperava encontrar menos preconceito e mais oportunidade para quem deseja recomeçar,infelizmente me deparei com uma realidade totalmente diferente, uma sociedade preconceituosa, a falta de um progama eficiente para o nosso retorno ao mercado de trabalho, mesmo com curso superior sou barrado, não me contratão, quando apresento o atestado de antecedente criminal. Esta cada dia mais dificil pois minha familia sobrevivia do auxilio reclusão.
    Acordo todos os dias pedindo a DEUS que toque no coração de algum ser humano e o mesmo me de a oprtunidade de recomeçar, trabalhar cuidar da minha familia.

  8. É questão de fazer valer os princípios constitucionais. Direito á vida, à seguridade. Se o indivíduo já cumpriu a sentença, nada mais justo que trata-lo como cidadão comum. Nosso país já quebrou muitos preconceitos. Creio que estamos no caminho certo, que é dar oportunidade de reintegração na sociedade que não deixa de ser mais um passo no combate à violência.

Grato por sua participação!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Valorizando o nosso melhor…