Arquivo da categoria: Cultura

Arany Santana assume a Secretaria Estadual de Cultura

O governador Rui Costa informou na tarde desta sexta-feira (29) que a Secretaria de Cultura do Estado será comandada por Arany Santana, ex diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI). A cerimônia de posse será na próxima segunda-feira (1º), às 14h, no Salão de Atos da Governadoria.

Arany ocupa a vaga deixada por Jorge Portugal que entregou carta ao governador pedindo exoneração do cargo na última quinta-feira (28).

Professora, atriz e ex-diretora do Ilê Aiyê, Arany Santana diz que dar continuidade ao trabalho implementado nesta gestão é motivo de honra. “A cultura teve avanços na Bahia principalmente com o projeto de interiorização, com as Escolas Culturais. Como educadora, acho um dos projetos mais importantes junto às escolas públicas. Vamos continuar garantindo um trabalho de qualidade junto a artistas e grupos sociais”, declarou a nova secretária.

 

Enviado por

……………………………………………………………………………………….Secom  – Secretaria de Comunicação Social – Governo da Bahia
www.comunicacao.ba.gov.br

Anúncios

Franklin da Silva Peixinho palestra na Faculdade 2 de Julho em evento do CEPA

O CEPA – Círculo de Estudo Pensamento e Ação, neste sábado (23/09/17), realizará a décima primeira aula do Curso de Filosofia – Segundo Semestre, de tema: Teresa de Ávila, Edith Stein e Gertrude Anscombe – com Prof. Germano Machado. Em seguida, palestra sobre “Maconha e Redução de danos na prisão” com Franklin da Silva Peixinho, Advogado. Mestre pela Universidade Federal da Bahia. Sarau poético-musical. Palavra livre.

Maiores informações: 3037-5548 e pelo e-mail cepaadmin@gmail.comLocal: Faculdade 2 de Julho, Av. Leovigildo Filgueiras, 81, Garcia.

Géssica Moura participa do Ciclo Internacional de Compositoras

O Sonora é um festival internacional de composição feminina, que teve origem no Brasil e é organizado de forma colaborativa por autoras/produtoras em diversas cidades do mundo.​

Reconhecemos que a presença desigual das mulheres no mercado musical e a falta de representatividade acabam por desestimular outras mulheres a se enveredarem por certos ofícios na música. Isso, por sua vez, reforça e embasa mitos de incapacidade feminina como instrumentistas, regentes, arranjadoras e compositoras.

O incômodo com esse contexto formou uma rede de mulheres e a interseção entre ideias, disposição e grande empreendedorismo de compositoras deu início ao que hoje intitulamos “Sonora ­- Ciclo Internacional de Compositoras”.